EsportesNotícias

Vitória quebra jejum, bate Sampaio Corrêa fora e segue vivo na briga contra a degola

Nesta terça-feira, 12, contra o Sampaio Corrêa, o Vitória encerrou um jejum de sete partidas e voltou a enxergar uma luz no fim do túnel que conduz a permanência do time na Série B do Campeonato Brasileiro. O Rubro-Negro venceu a Bolívia Querida por 1 a 0, com gol de Eduardo, no Estádio Castelão, em São Luís-MA.

>>Veja tabela de classificação e jogos da Série B

A vitória na 30ª rodada da competição nacional foi construída com um gol já aos quatro minutos, em cobrança de falta de Eduardo. Os três pontos não foram suficientes para tirar o time do 18º lugar, mas colocam o Leão na cola do Brusque, primeiro time fora do Z-4, e que entra em campo na sexta-feira, contra o Remo.

O próximo compromisso do Vitória na Série B é contra o lanterna Brasil de Pelotas e está marcado apenas para o dia 23 de outubro. Até lá, o Leão vai precisar esquecer da luta contra o rebaixamento para buscar uma vaga na Copa do Nordeste de 2022. No dia 19 deste mês o Rubro-Negro recebe o Itabaiana, no Barradão, para um confronto único eliminatório válido pela segunda fase do Pré-Nordestão.

Fim da seca

A entrada de Van como titular na lateral-direita foi a única mudança do Vitória em relação ao time que perdeu para o Confiança na rodada anterior. Apesar daquela derrota, o Rubro-Negro dominou parte do jogo, com direito a um caminhão de gols desperdiçados no Barradão.

Quando o Leão entrou em campo, por sinal, o time não marcava um gol há seis partidas, mas Eduardo só precisou de quatro minutos para acabar com o jejum do ataque rubro-negro. O meio-campista cobrou falta rasteira, a bola desviou em Baraka e foi parar no fundo das redes do Sampaio Corrêa.

Os minutos que se seguiram ao primeiro gol do jogo foram marcados por muita disputa no meio de campo, e poucas chances claras para finalização. O Sampaio Corrêa apostava, sem sucesso, na velocidade de Pimentinha, acionado a todo momento pelo lado direito do ataque. Já o Vitória, aproveitava a vantagem no placar para tentar trocar passes e envolver a defesa adversária.

Na reta final da primeira etapa o plano de jogo do Rubro-Negro passou a funcionar melhor e o time criou algumas chances para aumentar o placar. Aos 37 minutos Marcinho foi lançado nas costas da defesa, mas dentro da área tentou cavar um pênalti e perdeu a chance de finalizar. Pouco depois um cruzamento do lado esquerdo chegou até Manoel, que pulou fora do tempo e cabeceou sem perigo.

Enquanto isso, só aos 46’ o Bolívia Querida conseguiu colher frutos por insistir em Pimentinha. Ele recebeu pela direita e arrancou com dribles em direção ao gol até ser derrubado por João Pedro perto da entrada da área. Na hora da cobrança, no entanto, faltou capricho e a bola ficou na barreira rubro-negra.

Resiliência

A segunda parte do jogo trouxe um Sampaio Corrêa mais ofensivo, com Jean Silva na vaga de Baraka. Os donos da casa conseguiram ficar mais tempo com a bola dominada no campo de ataque, mas também abriram espaços para que o Vitória tentasse contra-golpes no Estádio Castelão.

O passar do tempo mostrou a Bolívia Querida cada vez mais dominante, e aos 33 minutos eles estiveram muito perto de empatar o jogo. Pimentinha, sempre ele, arrancou pelo lado direito, invadiu a área e passou para Léo Artur, que mandou por cima da meta defendida por Lucas Arcanjo.

Apesar dos donos da casa seguirem com a pressão até os minutos finais, o Vitória conseguiu resistir às investidas e gastar tempo para voltar a vencer e se manter vivo na Série B do Brasileiro.

Fonte: A Tarde

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo