DestaqueNotíciasRegião

Reitor da UFRB fala sobre novos cortes no orçamento da instituição

Nesta sexta-feira (14), o programa Microfone Aberto transmitido pela rádio Santa Cruz FM, 87.9, apresentado pelos radialistas Leônidas Rodrigues e Sílvio Caldas, entrevistou o reitor da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Fábio Josué. A entrevista contou também com a participação da jornalista Ivana Moreira. Durante o bate-papo, o reitor falou sobre a universidade nesse tempo de pandemia, e principalmente sobre os cortes no orçamento divulgados na semana passada pela própria universidade.

Em 2019, o professor Dr. Fábio Josué Souza dos Santos, foi nomeado pelo Ministério da Educação (MEC) como reitor da UFRB até o ano de 2023.  Fábio Josué é graduado em Pedagogia, mestre e doutor em Educação e Contemporaneidade (PPGEduC) da Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

Funcionamento da UFRB durante  a pandemia

Desde o ano passado a população vivencia esse momento delicado devido a pandemia da covid-19, porém, a UFRB vem executando com cautela as suas atividades. Tendo em vista que a universidade atua sobre o tripé – Ensino, Pesquisa e Extensão – houve uma adaptação para o desenvolvimento dessas ações. De acordo com Fábio, a UFRB está voltando ao seu funcionamento de forma gradativa e seguindo todos os protocolos de biossegurança. Dessa forma, ele destacou que a universidade está em pleno funcionamento, em alguns casos de forma remota.

Em relação ao ensino, o professor explicou: “No segundo semestre nós alteramos o formato de oferta das nossas atividades de ensino para o meio remoto e temos desenvolvido isso desde então”.

Sobre as atividades de extensão, Fábio destacou as ações de extensão:  “houve uma ampliação muito significativa, é infinita a quantidade de lives, de eventos, de materiais que foram produzidos, sobretudo, naquele primeiro momento para informar a sociedade. Então, nós ampliamos muito as atividades extensionistas utilizando o meio digital. As pesquisas também sofreram uma adequação”.

O reitor destacou a importância da UFRB e sua contribuição no enfrentamento a covid-19 “começamos a produzir, no primeiro momento, álcool em gel, álcool 70 em alguns de nossos campus. Também produzimos máscaras de proteção facial, começamos um processo de implantação de laboratório de diagnóstico de covid, que foi finalmente inaugurado no início deste mês em Santo Antônio de Jesus”, afirmou.

Sobre a polêmica da suspensão de atividades físicas que ocorreram no campus da UFRB em Cruz das Almas, o professor explicou que a decisão foi tomada por medida de segurança. Segundo informações, a decisão coincidiu com o momento em que foram confirmados alguns casos de coronavírus em alguns funcionários terceirizados da UFRB. Atualmente, a entrada nos espaços da universidade já estão livres, conforme informou Fábio: “Nós já liberamos o acesso ao campus.  Sabemos da importância desse espaço para a cidade de Cruz das Almas e ficamos felizes com o público utilizando esse espaço”.

Retorno às aulas presenciais

Durante a entrevista, o reitor informou que ainda não será possível a volta às aulas na modalidade presencial. De acordo com ele, o calendário acadêmico até o mês de setembro deste ano será realizado por meio do ensino a distância.

“Os próximos dois semestres foram pensados e organizados para o formato remoto. Para o mês de  novembro não houve ainda uma definição”, informou Fábio. Ainda de acordo com o professor, haverá a possibilidade de liberação para algumas atividades presenciais, seguindo os protocolos de biossegurança.

Cortes no orçamento

As universidades federais de todo Brasil foram atingidas por um corte de R$ 1 bilhão e o bloqueio de verbas, esse percentual é 18,16% menor que a destinada no ano de 2020. Sendo assim, a UFRB publicou uma nota na última sexta-feira (07), informando sobre essa redução orçamentária em torno de 22,8%. Sobre essa questão o professor Fábio explicou: “é importante dizer que o orçamento caiu quase pela metade nesses últimos seis anos. Em um cenário em que, inclusive, a universidade ampliou o número de cursos, número de professores, o número de estudantes e de espaços que passaram a ser inaugurados e disponibilizados para nossa comunidade. Então, esse corte no orçamento de 11,1 milhões é algo que afeta e tem nos preocupado muito”.

Além disso, o professor explicou que mais da metade do orçamento disponível está sob supervisão, ou seja, a universidade poderá utilizar apenas uma parte da verba disponível. Assim, para ter acessos aos 58% sob supervisão será necessário uma nova aprovação pelo Congresso Nacional.

Assim também, o reitor explicou que através de uma forte mobilização das universidades, o Governo Federal tem sinalizado um recuo, hoje foi encaminhado um desbloqueio desse volume que estava bloqueado, mas ele continua ainda sob supervisão.

Impactos para a universidade

 Sobre essa questão o professor Fábio destacou que esse impacto negativo já vem ocorrendo “somos a universidade mais inclusiva do Brasil, nós temos 11 mil alunos na graduação e cerca de 80% deles poderiam ser atendidos por programas de assistência estudantil, mas a nossa capacidade tem sido pequena para atender esse quantitativo”.

Ainda segundo informações do reitor, desde 2015 a universidade vem passando por um  sufocamento financeiro e isso  impossibilita a ampliação de  ações para a permanência dos alunos e funcionamento da universidade:

“Diminuição no quantitativo de bolsas, a impossibilidade de lançamento de novos editais, a necessidade de repactuação dos nossos contratos, então realmente é uma situação muito complicada”. Por fim, Fábio Josué agradeceu e ressaltou a importância da UFRB para a nossa região.

Por Ivana Moreira

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 1 =

Botão Voltar ao topo