DestaqueNotíciasPolíticaRegião

Raimundo Jean revela demissões de comissionados da Prefeitura de Cruz das Almas no final de outubro

O prefeito Raimundo Jean (PMDB) concedeu entrevista ao Bahia Recôncavo nesta segunda-feira (30) e confirmou que a Prefeitura de Cruz das Almas deve demitir servidores comissionados neste mês de outubro. “Estamos fazendo sacrifícios para voltar ao número ideal que é 54%”, disse o peemedebista, conforme determina a Lei de Responsabilidade Fiscal com os gatos de pessoal. Segundo ele, neste momento o limite foi ultrapassado.

“Estamos reduzindo gratificações, estamos reduzindo salário de cargo de confiança, reduzindo hora extra, que são trocadas por folga e vamos agora no final de outubro, em decreto, demitir algumas pessoas comissionadas”, disse.

Raimundo Jean deixou em aberto a possibilidade de em 2014, caso as contas melhorem, recontratar os servidores que serão desligados agora. Ele não soube precisar o número de comissionados que perderão seus empregos agora no final de outubro.

O gestor informou que outra ação para melhorar as contas do Executivo será buscar valores da dívida ativa. “Tem empresa em Cruz das Almas que deve mais de R$ 2 milhões”, disse. Ele citou o caso da Embrapa como uma das devedoras. “Concedemos o alvará e demos 30 dias. Se neste período não for resolvido, ela ficará sem alvará”, explicou, mas sem revelar quanto o Centro Nacional de Pesquisa em Mandioca e Fruticultura deve aos cofres municipais.

Raimundo Jean negou que tenha intenção de trocar o primeiro escalão neste momento, mas revelou sua vontade de realizar uma reforma administrativa. “Há o pensamento de criar mais duas secretarias, mas só podemos fazer isso se estivéssemos folgados (financeiramente)”, contou.

Caso a crise nos cofres das prefeituras diminua, o prefeito disse ter vontade em criar é a Secretaria de Meio Ambiente, hoje vinculada à Secretaria de Agricultura. “Estamos no milênio do meio ambiente. Precisamos investir muito”.

A outra pasta seria para trabalhar exclusivamente com convênios, mas ainda sem um nome. “O governo federal tem recursos, mas um dos grandes entraves é a falta de técnicos. Hoje na diretoria temos três profissionais e podemos correr risco de perder convênio por falta de pssoal”, acrescentou.

A reforma administrativa, prevê Raimundo Jean, será proposta à Câmara de Vereadores no primeiro semestre de 2014.

Segundo o prefeito, nos primeiros seis meses de 2013 o acréscimo nas receitas do município, quando comparado com o mesmo período do ano passado, foi de pouco mais de R$ 800 mil. “Salário mínimo e outros custos aumentaram”, desabafou. Reportagem: Maurício Medeiros / Foto: Maurício Medeiros (arquivo – julho 13)

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 + dezesseis =

Botão Voltar ao topo