DestaqueEntrevistasNotíciasPolíticaRegião

Prefeito Raimundo Jean fala de política e administração

Raimundo Jean Cavalcante Silva (PMDB) é o típico político que consegue causar paixão exacerbada em alguns eleitores de Cruz das Almas. Ele conseguiu construir sobre o seu nome, ao longo dos mais de 30 anos de vida política em Cruz das Almas, a figura de liderança. Em seu terceiro mandato à frente do Executivo, o peemedebista é mais um gestor brasileiro a reclamar da queda das receitas, principalmente no Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Nesta entrevista exclusiva concedida ao site Bahia Recôncavo para comemorar o aniversário de 116 anos de emancipação política da cidade, o prefeito de Cruz das Almas fala de tudo: política, São João, administração e como ele, que é médico, enxerga o programa do governo federal para atração de profissionais estrangeiro para o país.

Bahia Recôncavo – Todos os prefeitos brasileiros têm reclamado da queda na arrecadação do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Cruz das Almas segue essa linha?

Raimundo Jean – Eu tenho aqui em minhas mãos uma informação que foi passada pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM): ‘a presidente Dilma vetou a restituição do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), desonerando 2012 e 2013’. Tirou do município esse mês (julho) R$ 912.244,25. Essa tem sido a política do governo federal. A nossa capacidade de endividamento anual neste momento é de R$ 81milhões. O que é até uma boa notícia.

Os prefeitos têm sofrido muito. Nós tivemos uma reunião com secretários e vereadores e teremos que apertar mais ainda. Teremos uma perda de R$ 900 mil numa receita média mensal de R$ 6 milhões. Na Marcha dos Prefeitos a presidente Dilma nos deu uma esmola de R$ 3 bilhões para dividir por mais de cinco mil municípios. No nosso caso ficou previsto de receber em agosto R$ 511 mil e em abril do próximo ano R$ 511 mil. 

Ela (Dilma) nos dá uma esmola e está sequestrando uma parcela de R$ 900 mil. É melhor que não tivesse dado essa esmola. Os prefeitos foram reivindicar o aumento do FPM e ela não nos deu nenhuma satisfação. E foi realmente vaiada. 

Bahia Recôncavo – Uma das queixas dos prefeitos são os programas federais criados nos últimos anos. O senhor acha que o governo federal termina aumentando os custos dos municípios?

Raimundo Jean – O governo cria um programa federal e onera o município. O Projeto Caminho da Escola tem participação do município. Todos os programas precisam de contrapartida. Alguns até são equivocados. O ônibus escolar é um exemplo. Fizeram uns veículos que nenhuma empresa quer fazer seguro. Diminuíram os custos de produção e a qualidade. Recentemente um ônibus nosso pegou fogo.

Bahia Recôncavo – E qual é a receita de Cruz das Almas desde que o senhor assumiu até o momento?

Raimundo Jean – Nós estamos com os mesmos valores dos seis meses. É o mesmo patamar do ano passado: R$ 30 milhões. Não existe diferença nenhuma. Mas qual é a diferença que teve? Aumento de salários, os insumos aumentaram, o transporte aumentou, a manutenção da máquina tem um custo e combustível subiu. Tudo subiu. Teve inflação. E o governo, pelo menos, deveria acompanhar a inflação (no repasse às prefeituras), mas não acompanhou. O município está realmente numa situação difícil.

Bahia Recôncavo – E qual é o reflexo dessa dificuldade para o gestor?

Raimundo Jean – Em 2011 tivemos 47 prefeituras com contas rejeitadas. O problema principal foi o impacto na folha de pessoal. Ou seja: passou do limite permitido pela lei que é de até 54% (gasto com pagamento de pessoal do total arrecadado). Inclusive Cruz das Almas. Em 2012 está previsto que mais de 70 municípios terão suas contas rejeitadas por dificuldades em cumprir a

Lei de Responsabilidade Fiscal. E do jeito que a coisa está (queda na arrecadação) a previsão é que em 2013, 90% dos municípios estejam futuramente com rejeição de suas contas porque as receitas têm diminuído e as despesas têm aumentado. O governo federal fica fazendo programas paternalistas. 

Bahia Recôncavo – O senhor falou em reunião com os secretários e vereadores. O que o prefeito pediu a eles?

Raimundo Jean – Nós estamos administrando com responsabilidade. Mas, infelizmente com essa queda na receita, a despesa com pessoal está numa situação que se nós permitirmos que continue vai passar do limite permitido pela lei para os 12 meses. Procuramos os secretários para informar que precisamos reduzir um pouco as despesas, inclusive com pessoal.  A reunião com os secretários foi, principalmente, para diminuir despesas que vão onerar a folha de pessoal. 

Bahia Recôncavo – Existe a possibilidade de demissões?

Raimundo Jean – Sim! Todas as possibilidades existem. Estamos cumprindo principalmente determinações do Tribunal de Contas dos Municípios que manda cortar horas extras, cargos de confiança que podem ser diminuídos e contratados que podem ser diminuídos. Eu estou falando também dos salários (redução). A última coisa, que nós vamos fazer tudo para que não aconteça, é demissão. Em alguns casos, por exemplo, quando o efetivo estiver retornando de licença-prêmio, o excedente terá que ser demitido. 

Bahia Recôncavo – Quais são as ideias debatidas pelos gestores para resolver o problema da queda de arrecadação dos municípios?

Raimundo Jean – Eu li que o Congresso pretende vetar o sequestro de receitas proposto por ela (Dilma). O nosso líder do PMDB está articulando isso. Nós precisamos de 257 votos na Câmara e 47 no Senado para vetar. Tenho certeza que será vetado assim que voltarem (parlamentares) do recesso. A União quer administrar o recurso que é de direito do município e do estado. Então não precisa ter prefeituras e governo de estado.

Bahia Recôncavo – O que o senhor destaca de seu governo desde janeiro?

Raimundo Jean – Diminuímos sensivelmente o problema de segurança pública, principalmente as mortes. Vinha se matando muito em Cruz das Almas. Investimos no trânsito e convocamos mais 10 agentes, reabertura de oito Postos de Saúde da Família (PSFs) e instalação de mais quatro, reabrimos o IPER e hoje temos 25 especialidades médicas, acabamos com a fila na Central de Regulação, o IPER hospital foi reaberto e já realizamos mais de 300 cirurgias, criamos o Centro Administrativo, que pode ser temporário ou definitivo. Estamos assinando o contrato para construção de 1.000 casas populares do Minha Casa Minha Vida e o Paço será transformado no Centro da Memória de Cruz das Almas.

Colocamos a Central de Serviços Públicos, com SAMU, Guarda Municipal, Batalhão de Polícia, Secretaria de Segurança Pública e Superintendência Municipal de Trânsito e Transporte, e tem espaço para colocar o local de monitoramento de câmaras. Compramos quatro câmaras e instalamos na Praça Senador Temístocles.

A Secretaria de Educação terá transporte escolar exclusivo para estudantes, está tramitando a licitação para transporte urbano, estamos dando seguimento na pavimentação da obra de pavimentação na Tabela, Alagados, na Sapucaia e retomamos a obra da Praça da Juventude. Vamos fazer o patrolamento da zona rural. 

Bahia Recôncavo – Por que a Prefeitura decidiu realizar uma licitação para alugar veículos, o que gerou controvérsia na cidade?

Raimundo Jean – O município não tem condições de comprar novos compactadores e outros carros. Nós chegamos ao diagnóstico de que era realmente melhor locar. Concluímos que o custo era menor. A Prefeitura está pagando o contrato e está fornecendo o combustível. Motorista e seguro são com a empresa. O contrato reza que eles (carros) serão renovados a cada dois anos. Tem um caminhão, tem um ônibus para ser pago em horas usadas e algumas caminhonetes na Secretaria de Educação, Serviços Públicos e Infraestrutura. Rapidamente resolvemos o problema de nossa frota, que encontramos 80% sucateada. A licitação do lixo, que até hoje não saiu, também trará caçambas e compactadores para recolher as 10 toneladas de lixo produzidas diariamente. As empresas estão brigando, no bom sentido. Mas vai sair. 

Bahia Recôncavo – Qual é a avaliação do Executivo sobre o São João 2013?

Raimundo Jean – Foi uma grande polêmica quando decidimos pela mudança. Fomos à Câmara de dirigentes Lojistas  (CDL) para discutir com o comércio. E foi aceito que fosse na Praça (Senador Temístocles). Em 1989, quando eu era vice-prefeito, nós criamos o Arraiá do Laranjá. Quando eu assumi novamente vimos à necessidade de resgatar o São João. A festa mais forte e tradicional da cidade é o São João. 

O Sumaúma tem 7.000 mil metros e a Praça Senador Temístocles tem 22 mil metros. Isso é um crescimento grande. Outro motivo foi movimentar o comércio do centro. Divulgamos a programação antes do São João. Buscamos as bandas mais importantes. Já pagamos todas as bandas. Os hotéis ficaram lotados, a praça lotada e as casas foram alugadas. Ficamos muito felizes. A festa foi um sucesso.

Já estamos programando e o coordenador será mantido. Já temos ideias. Vamos diminuir custos com as bandas. A marca foi resgatada. 

Bahia Recôncavo – Qual foi o custo do São João 2013, prefeito?

Raimundo Jean – Eu não posso lhe dizer em números exatos, porque ainda não tenho esses valores exatos. Mas posso dizer que em bandas e estrutura ficou por pouco mais de R$ 2 milhões. Nós ainda não fechamos. Estamos ainda para receber o dinheiro da Petrobras.

Bahia Recôncavo – A Prefeitura pretende manter o arraiá na Praça Senador Temístocles em 2014?

Raimundo Jean – Sim! Caso Deus permita que esse nosso projeto no Ministério do Turismo para o Forrodódromo aconteça, ele (arraiá) sairá da Praça. Mas para 2014 com certeza será na Praça Senador Temístocles. 

Bahia Recôncavo – Como médico e como gestor, o que o senhor acha do Programa Mais Médico, lançado pelo governo federal? 

Raimundo Jean – Como médico eu sou contrário. Todas as entidades e sindicais dos médicos são contrários. Os reitores das escolas de Medicina não foram consultados. Essa determinação foi feita de cima para baixo. Qual é a supervisão que um estudante de Medicina terá em uma cidade como Cruz das Almas? Nós precisamos que esses meninos passem mais dois anos em residência. Da maneira que está sendo feito, eu sou contra. Eu sou favorável que todos façam estágio em PSFs. Como gestor, o secretário de Saúde me pressionou e nós aderimos ao programa. Amanhã eu não posso ser criticado. 

Bahia Recôncavo – Qual é a leitura que o senhor faz das manifestações que ocorreram no Brasil nos últimos dias?

Raimundo Jean – Acho que o povo precisa pressionar o Congresso. Essa história de que não tem tempo para a eleição de 2014 é balela pura. Pode ser mudada a Constituição. Precisamos ter coincidência dos mandatos. Há uma farra dos empresários e dos corruptos. Outra coisa é ter o voto distrital. Tem que ter. O Congresso não quer. Caso o voto distrital passe, nós elegeremos dois deputados em Cruz das Almas, sem brigar com ninguém. São os deputados que não querem que as mudanças aconteçam.

Bahia Recôncavo – Existe alguma possibilidade do senhor deixar o PMDB e ir para um partido da base do governador Jaques Wagner?

Raimundo Jean – Impossível!

Bahia Recôncavo – O senhor apoiará Edson Ribeiro (DEM) para deputado estadual em 2014?

Raimundo Jean – É o meu candidato e dos que me acompanham também.

Bahia Recôncavo – Quando o senhor diz dos que o acompanham, quer dizer o quê?

Raimundo Jean – O meu grupo político. Nossa equipe de governo. Nós temos que estar unidos. 

Bahia Recôncavo – Quem o senhor apoiará para deputado federal?

Raimundo Jean – Nós temos um acordo. O meu grupo e o grupo do vice-prefeito (Ednaldo Ribeiro). O meu grupo, o PMDB, vai apoiar Lúcio Vieira Lima (PMDB). E o grupo liderado por Ednaldo Ribeiro (PTC) e Edson Ribeiro (DEM) apoiará Ronaldo Carleto (PP), que é deputado estadual, mas sairá para deputado federal. 

Bahia Recôncavo – O senhor é candidato à reeleição em 2016?

Raimundo Jean – Eu tenho um compromisso neste momento com Cruz das Almas. Não gostaria de ter saído candidato em 2012. Mas trabalhamos com o consenso. Trabalhamos com o candidato que tivesse viabilidade para ganhar a eleição seria o candidato. E meu nome apareceu como o mais competitivo. A eleição de 2016 ainda está muito longe. Vamos trabalhar primeiro para a eleição de 2014. Depois vamos trabalhar para 2016. Tem muitos nomes. Tem Ednaldo Ribeiro, tem Edson Ribeiro, tem André Eloy (PMDB) e tem Paulinho Moraes (PMDB). Novos nomes estão surgindo.

Bahia Recôncavo – Mas o senhor não inseriu seu nome?

Raimundo Jean – O momento não é para discutir o meu nome. Essa não é uma decisão minha, mas do grupo. Eu posso decidir apoiar Ednaldo Ribeiro, mas quem vai me apoiar e decidir são os outros. Não sou eu que decido.

Bahia Recôncavo – Caso o PMDB feche com o PT para a reeleição de Dilma Rousseff em 2014, o senhor vai apoiar a petista?

Raimundo Jean – Caso o PMDB esteja na base e caso o PMDB e Dilma honrarem os compromissos com Cruz das Almas, tenha certeza que eu vou apoiar o candidato do PMDB. 

Reportagem e foto: Maurício Medeiros

Artigos relacionados

3 Comentários

  1. Jamais ri tanto na minha vida,já vi cara de pau,mais igual a do DR ( Risos… ).Entrevista cheia de contradições e inverdades.Cruz das Almas em peso sabe que tudo que ele falou sobre Minha casa minha vida,ônibus,foi deixado pelo gestor passado,sem falar dos PSF.Ele fala em arroxo e faz trinta dias de festa junina e gastos abusivos.Faltou coragem do Repórter ter perguntado sobre a lei da ficha limpa e dos boatos que circulam no município.

  2. Sou eleitora de Cruz das Almas, votei em Jean e Ednaldo e com muita fé acreditei que desta vez seria diferente. Porém… como poderia dar certo, também existiria a possibilidade de dar errado. e DEU! Cruz das Almas encontra-se em um descaso total, o prefeito esqueceu de todas as promessas que garantiu a seus eleitores uma tão sonhada mudança. Minha revolta e indignação não é por causa dos valores dos seus salários, mas por desconsiderar o povo de Cruz. A cidade dispõe de pessoas competentes e com conhecimento. Mas são desconsideradas, é como se em Cruz habitassem apenas analfabetos uma injúria com seus eleitores. Trazerem empresas de fora super faturadas. Onde estão as oportunidades para a população? Onde esta a humildade? As promessas? O respeito? Sinto muito ter me enganada, mais sou apenas uma pessoa que depositou toda a esperança nessa mudança. E relato ainda o nepotismo em cada secretaria, funcionários totalmente despreparados, que nem a linguagem verbal sabem expressar, pessoas totalmente incapacitadas para tal cargo. Meus pêsames, Cruz das Almas encontra-se em luto por tempo indeterminado!

    1. O prefeito e as pessoas que trabalham veemente com ele, querem apenas o melhor para esta cidade e farão o máximo para conseguir as melhorias propostas na campanha, porém acredito que enfrentem dificuldades para efetuar as benfeitorias no primeiro ano de administração, pois trabalham com a verba deixada da gestão anterior. Isso é fato em todos os municípios brasileiros. Informem-se, antes de se exprimir de feição infame.Agora é tarde meu bem,já foi feito a merda.Vocês eram felizes e não sabiam…O melhor gestor para classe de vocês foi Orlandinho e vocês o decepcionou.Toma paketá QUE CURA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 5 =

Botão Voltar ao topo