EducaçãoNotícias

Ifba adia prova de processo seletivo para 30 mil candidatos

A prova do processo seletivo do Instituto Federal da Bahia (Ifba), que seria realizada no da 20 de novembro, foi adiada para o dia 11 de dezembro, em virtude das ocupações. Dos 24 campis do Ifba em todo o estado, 10 estão ocupados e se espalham pelas cidades de Simões Filho, Valença, Ilhéus, Vitória da Conquista, Barreiras, Juazeiro, Jequié e Feira de Santana.

Cerca de 30 mil candidatos irão participar do processo. Desse total, 12 mil terão o local de prova alterado. “Estamos buscado negociar com unidades do estado e faculdades particulares os locais para fazer a prova. Vamos precisar de umas 15 novas unidades para abrigar os 12 mil estudantes”, afirmou o reitor do instituto, Renato da Anunciação Filho.

Os candidatos poderão acessar seus locais de prova a partir do dia 2 de dezembro no site do Ifba ou através do próprio sistema de acompanhamento das inscrições. O instituto está orientando os participantes pelo e-mail selecao2017@ifba.edu.br e pelos telefones (71) 2102-0470/0474. A previsão de divulgação do resultado é a partir de 23 de janeiro de 2017.

Na Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), apesar das ocupações, as provas estão mantidas para os dias 20 e 21 de novembro, para 10 mil candidatos. Segundo o reitor da Uefs, Evandro Nascimento, não há nenhum indicativo para mudar as datas da prova. “A nossa perspectiva é manter a data, mas colocando os candidatos que iam fazer prova no campus em outras unidades escolares e faculdades de Feira”, afirmou ele.

Lidando com as ocupações
No Ifba, a orientação da reitoria é que os diretores gerais dos campis ocupados mantenham um canal de negociação aberto com os estudantes. “Como as reivindicações deles dependem do governo federal e não do instituto, solicitamos apenas que se mantenha o patrimônio, a ordem e pedimos que aqueles são de menor não fiquem no campus. Até agora, não tivemos nenhuma ocorrência”, relatou o reitor.

Na Uefs a reitoria da iniciou, na manhã desta quarta-feira (09), uma serie de debates com os estudantes que participam da ocupação, para discutir suas reivindicações. Hoje, foi discutida a questão dos direitos humanos na universidade, envolvendo racismo, intolerância religiosa e discriminação de gênero.

“Pensamos em melhorar a estrutura da ouvidoria da Uefs e promover ações que levem a conscientização da comunidade sobre direitos humanos. Os estudantes consideraram as medidas satisfatórias”, contou o reitor, Evandro Nascimento.

Os debates continuaram até a sexta-feira (11). Na quinta (10) o tema será orçamento e infraestrutura, e na sexta será discutida a permanência e assistência estudantil. “Ao final dos debates, com as propostas de resoluções que demos, vamos negociar a desocupação”, declarou Evandro.

Por: Correio

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + 9 =

Botão Voltar ao topo