CulturaDestaqueEducaçãoNotíciasRegião

Hip-Hop em cena: Projeto de extensão da UFRB, Educa Rap, completa quatro anos

O projeto de extensão Educa Rap, criado na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), celebra seu quarto aniversário com uma jornada marcada por significativas conquistas e avanços. Desde a sua fundação, em 31 de outubro de 2019, o projeto tem desempenhado um papel fundamental na promoção da cultura Hip-Hop no ambiente universitário, fortalecendo a cena cultural em Cruz das Almas e no Território do Recôncavo.

Sob a coordenação de Errivance, graduado em tecnologia em Agroecologia e especialista em Ciências Agrárias, rapper e comunicador, o projeto tem como destaque o protagonismo dos estudantes da UFRB, professores e membros da comunidade externa na condução de suas atividades.

A evolução dos estudantes participantes do projeto é destacada, por Errivance, como motivo de satisfação. “Uma das grandes realizações do projeto Educa Rap é o desenvolvimento notável dos estudantes por meio das ações que implementamos. Em particular, destaco o programa ‘Rap é o Som’. É nesse espaço que testemunho a chegada de novos estudantes e acompanho seu percurso de formação pedagógica. Eles passam por um processo de aprendizado enriquecedor, participando de oficinas de roteiro, locução, operação de mesa, fotografia e audiovisual”, ressaltou o coordenador.

O programa “Rap é o Som” é uma das principais iniciativas do projeto. Produzido e apresentado pelos estudantes da equipe, é transmitido aos sábados das 19h às 21h na Rádio Comunitária Santa Cruz FM 87,9. Com mais de 150 edições, o programa se destaca como um ponto de referência na grade da rádio cruzalmense, sendo acessível também pelo aplicativo Santa Cruz Play e pelo canal da emissora no YouTube.

Rebeca Mota, jornalista recém-graduada pela UFRB e também integrante do projeto, fala da importância deste em sua formação profissional: “O Educa Rap, através do programa ‘Rap é o Som’ e das ações desenvolvidas, contribuiu para minha formação como jornalista. É notável como as práticas desencadearam em uma ótima desenvoltura da minha comunicação”.

Augusto Sérgio, estudante de Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Ambientais e participante do projeto, também avalia o impacto do Educa Rap. “É significativo na comunidade, por promover a inclusão, fortalecer a autoestima e empoderar os jovens de comunidades periféricas. Além disso, destaca-se na promoção do Hip Hop como uma forma legítima de expressão artística e como um veículo essencial para a conscientização social”, afirmou.

O quarto ano do Educa Rap está marcado, ainda, com o lançamento do documentário “A grande família é a rua”. A obra conta a história da origem das batalhas de rima em Cruz das Almas e foi produzida através de um edital de incentivo à cultura, com financiamento da Lei Aldir Blanc, aprovado pela Secretaria de Cultura de Cruz das Almas.

Segundo Errivance, outros planos e ações do Educa Rap estão previstos para este ano. “Haverá uma exposição fotográfica em celebração aos quatro anos do Educa Rap e aos cinquenta anos do Hip Hop no mundo. Essa ação será financiada pela Lei Paulo Gustavo de Cruz das Almas. O evento, marcado para ocorrer no projeto Virada Cultural, está agendado para o ano de 2023″, declarou.

Todas as atividades desenvolvidas pelo Educa Rap são transformadas, pelos membros do projeto, em resumos e relatos de experiência, apresentados em eventos acadêmicos como a Reconcitec e o Fórum de Pró-Igualdade Racial e Inclusão Social do Recôncavo, fortalecendo a conexão entre extensão, pesquisa e ensino na UFRB.

Conheça mais da trajetória do Educa Rap

Desde a sua criação, o Educa Rap vem expandindo suas ações e se reinventando. No contexto da pandemia da Covid-19, por exemplo, o projeto adaptou suas atividades, suspendendo encontros presenciais e lançando dois videoclipes musicais: “Máquina de Fazer Democracia” (uma homenagem ao Educador Baiano Anísio Teixeira) e “Fica em Casa” (uma música de incentivo à prevenção relacionada à Covid-19), ambos veiculados por meio do formato audiovisual.

Já em 2021, foi lançado o “Rap é o Som PodCast“, um podcast de hip-hop com tradução em Linguagem Brasileira de Sinais (LIBRAS). Essa iniciativa contemplou cinco entrevistas com artistas independentes do Interior da Bahia, com enfoque em indivíduos negros e LGBTQIAP+, disponibilizadas no canal do EducaRapTV, financiadas pela Lei Aldir Blanc.

Uma das conquistas mais emblemáticas do projeto foi a estreia do Projeto Educa Rap na televisão, fruto da parceria com o Projeto Univerciência e a emissora de TV da Bahia, TVE. Essa exposição em televisão aberta expandiu o alcance do projeto para todo o Nordeste, proporcionando maior visibilidade às atividades desenvolvidas.

Outra ação realizada foi o painel de grafite, localizado na Biblioteca Central do Campus Cruz das Almas, resultado de um financiamento coletivo através de uma vaquinha on-line. Assinada por Euri Mania – artista de Juazeiro, na Bahia -, a obra é uma homenagem a Milton Nascimento, Dona Dalva do Samba, Anísio Teixeira, Paulo Freire e à renomada rapper Dina Di. O grafite de Euri Mania não apenas celebra essas personalidades, mas também enaltece a cultura do sertão, incorporando elementos como o cacto e o sol em seus traços marcantes. Essa iniciativa foi realizada durante a celebração dos dois anos do projeto, que também incluiu uma oficina de grafite na comunidade quilombola da Vila Guaxinim.

Além dessas ações, o projeto é responsável por promover a Batalha da Escola, uma batalha de rima temática, realizando seis edições. Esse evento, que reúne MC’s/rappers, elementos do hip-hop (como MC, Break Dance e DJ) e fortalece a cultura literária por meio de intervenções poéticas, tem seu espaço na área externa da Biblioteca Central da UFRB.

Para acompanhar o trabalho do Educa Rap, acesse as redes sociais do projeto:

YouTube – https://www.youtube.com/c/EducaRapTV

Instagram – https://www.instagram.com/educarapufrb

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × quatro =

Botão Voltar ao topo