EducaçãoNotícias

Estudantes indígenas e do campo comemoram entrada no Ensino Superior através do SISU

Esta terça-feira (22) se tornou um marco para a vida da estudante indígena Lithaly Isabelle, 17, da etnia Tuxá. Ela foi aprovada em primeiro lugar no curso de Direito na Universidade do Estado da Bahia (UNEB), na primeira chamada do SISU (Sistema de Seleção Unificada), referente ao primeiro semestre de 2022. Através do sistema do Ministério da Educação, as instituições públicas de Ensino Superior oferecem vagas para os candidatos, que são classificados de acordo com a pontuação obtida no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Os participantes podem conferir se foram aprovados nos sites das universidades escolhidas ou através do próprio site da seleção.

Veja o resultado aqui: https://sisu.mec.gov.br/

Lithaly Isabelle está radiante e fala da simbologia desta conquista para ela e para o povo indígena na Bahia. “Conquistar uma vaga na universidade e levar o nome do meu povo para mais um patamar de reconhecimento é muito gratificante. Espero contribuir em todos os aspectos, inclusive nos próprios direitos de um povo, que teve seu histórico marcado por injustiças e violações. Então, estarei ocupando uma vaga que foi conquistada e estimulada com muita luta por todos que me antecederam. Meu papel é melhorar o caminho para todos que ainda virão”, afirmou a estudante, que concluiu o Ensino Médio na Escola Estadual Indígena Capitão Francisco Rodelas, no município de Rodelas.

Morador do povoado de Terra Boa, no município de Boa Vista do Tupim, o estudante Jonathan Souza, 18, estudou no Colégio Estadual do Campo Castelo Branco. Aprovado em Direito, na Universidade Federal da Bahia (UFBA), ele espera despertar a vontade de estudar com outros jovens. “Apesar de sentir uma identificação por outros cursos, sempre admirei Direito e espero êxito nessa trajetória. Moro em um lugar pequeno, talvez essa conquista inspire outros alunos a estudarem e lutarem por uma vida melhor. Tenho a consciência de que vou encontrar obstáculos no caminho, porém o que está adiante é sempre maior”.

A estudante Geovana de Souza, 18, que foi aprovada em Ciências Biológicas na Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), conta que pretende continuar no Ensino Superior um projeto científico iniciado no Ensino Médio, no Centro Educacional Monteiro Lobato, em Firmino Alves. “Estou com vários planos. Quero aprofundar um projeto na área de Botânica, que comecei no ano passado, e espero seguir com o estudo da genética. Espero que me adapte bem à nova rotina de estudos, criando bons laços e conseguindo superar novos desafios. Sou grata por tudo, principalmente a todos que me ensinaram e acreditaram em meu potencial”.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze − sete =

Botão Voltar ao topo