BrasilMundoNotíciasSaúde

Dia Internacional da Saúde Mental: especialista esclarece quais os sinais de alerta para cuidar da saúde mental

Reconhecer os sinais precoces de problemas emocionais é o primeiro passo para buscar ajuda e apoio.

A chegada do último trimestre do ano é marcada por datas que visam a conscientização sobre a saúde mental como o Dia Internacional da Saúde Mental. O dia busca ampliar a discussão sobre o tema e sensibilizar a sociedade para a identificação e atuação frente aos sinais de alerta que indicam sofrimento mental, conforme aponta Mariana Kolb, psicóloga da Rede OTO.

Mariana enfatiza também que “reconhecer os sinais de alerta é fundamental para identificar e tratar problemas de saúde mental a tempo, prevenindo o agravamento das condições emocionais e psiquiátricas”. Segundo dados da Associação Brasileira de Psiquiatria, cerca de 96,8% dos casos de suicídio estão relacionados à depressão, transtorno bipolar, esquizofrenia e outros sofrimentos psicológicos.

A informação divulgada pela organização evidencia a importância da prevenção do adoecimento mental e a promoção do cuidado com o bem-estar psíquico. Neste contexto, a psicóloga aponta alguns sinais de alerta comuns que podem indicar o sofrimento psicológico de uma pessoa:

Mudanças de comportamento: alterações significativas no comportamento diário, como isolamento social, agitação, irritabilidade constante ou perda de interesse em atividades que costumavam ser agradáveis;

Mudanças no sono e alimentação: distúrbios no sono, como insônia ou excesso de sono, bem como alteração no comportamento alimentar, como a perda de apetite ou a compulsão;

Persistência de tristeza ou angústia: sentimentos intensos e persistentes de tristeza, ansiedade ou desesperança que interferem nas atividades cotidianas;

Dificuldade de concentração: dificuldade em se concentrar, tomar decisões ou lembrar informações importantes;

Pensamentos autodestrutivos: ocorrência de pensamentos sobre morte, depreciativos, de ideação suicida ou automutilação;

Sintomas físicos sem causa aparente: dores de cabeça, dores de estômago e outros sintomas físicos que não têm uma causa orgânica aparente.

Quando alguém identifica esses sinais em si mesmo ou em alguém próximo, pedir e oferecer ajuda é o primeiro passo a ser dado, como orienta Mariana Kolb. “Buscar um profissional de saúde mental, como um psicólogo ou psiquiatra, é fundamental. Através de uma avaliação especializada, será possível conduzir um cuidado adequado e individualizado”, fala.

Além disso, o apoio de amigos e familiares desempenha um papel vital no processo de recuperação. “Estar disponível para ouvir, manter uma comunicação aberta, demonstrar empatia e oferecer apoio emocional são atitudes que podem fazer a diferença na jornada de alguém que está enfrentando desafios emocionais”, finaliza a profissional.

Sobre a Rede Oto

Maior rede de hospitais particulares do Ceará, a Rede Oto é composta pelos hospitais Oto Aldeota (antigo Hospital Otoclínica), Oto Meireles (antigo Hospital Gastroclínica) e Oto Santos Dumont (antigo Hospital São Mateus), além de unidades de saúde, laboratório, núcleo de vacinação e centros completos de diagnóstico por imagem. A Rede integra a Kora Saúde, um dos maiores grupos hospitalares do país com 17 hospitais, sendo sete no Espírito Santo, três no Ceará, dois no Tocantins, além de estar presente ainda em Mato Grosso, Distrito Federal e Goiás.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × três =

Botão Voltar ao topo