BrasilCulturaDestaqueEducaçãoNotícias

DIA DA BANDEIRA: entenda por que a data existe

Nesta sexta-feira, 19, é comemorado o Dia da Bandeira. A data, que não é feriado nacional, celebra a bandeira brasileira e foi criada após a Proclamação da República, em 15 de novembro de 1889, marcando o fim do império e o início da república. Por essa razão, quatro dias depois da Proclamação, o dia 19 ficou reservado à bandeira, pois foi a data que o símbolo foi apresentado.

Além da bandeira do Brasil, o Hino, as armas e o Selo Nacional fazem parte dos nossos demais símbolos representativos.

Na ordem direita para esquerda temos: a Bandeira Nacional; Brasão das Armas; Selo Nacional e o Hino. Senado Federal/Reprodução

De acordo com o site de educação Brasil Escola, em 1889, o presidente provisório Marechal Deodoro da Fonseca assinou o Decreto 04 que visava a substituição da bandeira do império. As cores verde e amarela foram mantidas.

O Governo Provisório da República dos Estados Unidos do Brasil:

Considerando que as cores da nossa antiga bandeira recordam as lutas e vitórias gloriosas do Exército e da Armada na defesa da Pátria;

Considerando, pois, que essas cores, independentemente de forma de governo, simbolizam a perpetuidade e integridade da Pátria entre as outras Nações:

Decreta:

Art. 1º – A bandeira adotada pela República mantém a tradição das antigas cores nacionais – verde e amarela – do seguinte modo: um losango amarelo em campo verde, tendo no meio a esfera celeste azul, atravessada por uma zona branca, em sentido oblíquo e descendente da esquerda para a direita, com a legenda – Ordem e Progresso – e ponteada por vinte e uma estrelas, entre as quais a da constelação do Cruzeiro do Sul, dispostas na sua situação astronômica, quanto à distância e ao tamanho relativos, representando os vinte Estados da República e o Município Neutro; tudo segundo o modelo desenhado no anexo no 1.

Com a Proclamação da República algumas mudanças pontuais foram feitas na bandeira. Estas foram:

  • O losango amarelo foi redimensionado.
  • O símbolo de Armas do Império foi substituído por uma esfera republicana da cor azul.
  • Na esfera, foi acrescentado um lema de orientação positivista, “Ordem e Progresso”, em letras verdes dentro de uma faixa branca.
  • Na esfera azul, foram adicionadas estrelas, que representam os estados brasileiros. A posição de cada estrela foi definida por lei e corresponde ao céu do Rio de Janeiro, observado no dia 15 de novembro de 1889 às 8:30h.
Bandeira Imperial/BBC Brasil/Reprodução

Os autores da Bandeira Nacional foram Raimundo Teixeira Mendes, Miguel Lemos, Manuel Pereira Reis e Décio Vilares, com uma última modificação no dia 11 de maio de 1992, quando foram adicionadas estrelas correspondentes aos estados do Amapá, Roraima, Rondônia e Tocantins.

As cores apresentadas na bandeira, como sabemos, são o verdeamareloazul e branco. A escolha dessas cores remonta a fatores relacionados com a história portuguesa. Vejamos a origem delas:

  • Verde: faz menção a povos que habitavam Portugal há mais de dois mil anos. O verde tornou-se símbolo da luta dos portugueses pela liberdade e passou a ser utilizado como cor nacional pelos portugueses durante as guerras contra os mouros.
  • Amarelo: passou a ser utilizado no brasão de armas de Portugal logo após a conquista de Algarve (região ao sul do país) em 1250. Pode fazer menção também à cor da Casa dos Habsburgo-Lorena, dinastia da qual fazia parte D. Leopoldina, esposa de D. Pedro I.
  • Azul e Branco: foram adotados, a princípio, em Portugal a partir do século XI. O azul e o branco popularizaram-se no Brasil após terem sido adotados como as cores de algumas Capitanias Hereditárias.

Atualmente, as cores foram reinterpretadas, mas não possuem nexo histórico. De acordo com as novas interpretações, elas apontam as riquezas brasileiras:

O verde representaria a exuberância de nossas florestas e o amarelo, o ouro encontrado no subsolo. E é passado de geração em geração que o azul seria uma referência aos rios que permeiam o território brasileiro e ao mar que banha a costa. Até o branco da faixinha teria sua justificativa: a paz”.

Trecho retirado de matéria da BBC Brasil

Hino à Bandeira

Em 1906, o poeta Olavo Bilac apresentou o Hino à Bandeira Nacional a pedido do ex-prefeito do Rio de Janeiro Francisco Pereira Passos. O hino possui música do regente Antônio Francisco Braga, e foi planejado para que as pessoas se habituassem com o novo símbolo nacional. Inicialmente, era tocado somente no Rio, já que era a capital federal do país, mas se espalhou por corporações militares de todos os estados.

Abaixo o Hino à Bandeira Nacional divulgado em vídeo do Exército Brasileiro:

A Bandeira Nacional deverá sempre ser hasteada às 12 horas do dia 19 de novembro, com solenidades especiais, de acordo com LEI No 5.700, DE 1º DE SETEMBRO DE 1971.

*Com informações do site Brasil Escola

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco − 1 =

Botão Voltar ao topo