DestaqueEntrevistasNegóciosNotícias

Declaração do IR: novos prazos, dúvidas e mudanças com a pandemia

Todo ano não tem como correr: uma parcela da população precisará declarar o Imposto de Renda. Sendo assim, anualmente se espera no Brasil 32 milhões de declarações do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF).

No ano passado, os sistemas da Receita Federal registraram 31.980.151 declarações até às 23:59 em 30 de junho de 2020. Vale lembrar que em razão da pandemia o governo precisou esticar o prazo para as declarações.

Não está sendo diferente em 2021, novamente os prazos foram prorrogados. A princípio, a data inicial para entrega seria em 30 de abril, mas a Receita Federal adiou até 31 de maio. No entanto, a Câmara dos Deputados aprovou um projeto que prolonga o prazo para 31 de julho. O texto, que já passou pelo Senado, agora precisa ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro.

É importante destacar que mesmo com todos esses adiamentos,  o cronograma de restituição do IR não foi alterado. Assim, as declarações entregues pelos  contribuintes com antecedência já poderão ser restituídas a partir de 31 de maio de 2021.

Afinal de contas, o que é o Imposto de Renda?

 Este tributo (IR), como o próprio nome já diz, tem a ver com o valor que você recebe. Desse modo, o governo solicita que tanto as empresas quanto os trabalhadores informem seus ganhos anuais. Porém, nem todos os brasileiros são obrigados a declarar. Dessa forma, somente os contribuintes que tiveram rendimento anual superior ao teto estabelecido pela Receita Federal são eles:

  • Remunerações recebidas em 2020 a partir de R$ 28.559,70, sendo em média R$ 2.379,98 por mês;
  • Teve posse ou propriedades até o último dia do último ano, imóveis, veículos e outros bens cujo valor total é superior a R$ 300 mil;
  • Rendimentos em seus investimentos anuais acima de R$ 40 mil;
  • Atividade rural com renda bruta superior a R$ 142.798,50;
  • Ganhou capital e operação em bolsas de valores sujeitos à incidência de tributos;
  • Passou a ser residente no Brasil até 31 de dezembro de 2020.

Principais dúvidas sobre DIRPF

De acordo com Antônio Carlos Vieira da Cruz, contador, as principais dúvidas das pessoas que chegam até ele para fazer a declaração, diz respeito aos dependentes:

“As dúvidas mais frequentes estão relacionadas com esta questão, o dependente. É importante explicar que se você colocar o dependente na sua declaração, faz-se necessário lançar as receitas  também. Isso é um detalhe importante.”

Já em relação a este ano de 2021, Antônio, explicou que muitas pessoas tiveram dúvidas relacionadas ao auxílio emergencial: “Se o contribuinte colocar o dependente em sua declaração, será necessário informar que recebeu o auxílio emergencial, dessa forma o próprio programa da Receita Federal gerará uma guia chamada DARF, então todo o valor do auxílio recebido será devolvido”.

O contador explicou também que é possível entregar uma declaração retificadora excluindo o dependente que recebeu o auxílio emergencial: “É importante saber se é mais vantajoso deixar o dependente mesmo que precise devolver o auxílio ou retificar a declaração”. Ele também salientou a importância de buscar ajuda de um contador para ter mais segurança durante o processo de declaração. Assim, você evita deixar algum dado importante e depois ter problemas com a malha fina. Ressaltou.

A pandemia e IRPF

De acordo com Antônio foi possível observar mudanças com esta pandemia. Por exemplo, antes seu escritório recebia bem muito mais pessoas para fazer essa declaração. Porém, durante esse momento de pandemia a maioria das consultas estão sendo virtuais: “As pessoas estão me procurando mais pelo telefone, whatsapp, e-mail tenho notado essa diferença em relação aos não anteriores que não tinha pandemia. Eu também acredito que essa pandemia irá impactar nas declarações deste ano, além disso, os prazos foram alterados devido a esse momento crítico”.

Por: Ivana Moreira

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo