DestaqueEducaçãoNotíciasPolítica

Com investimentos de R$ 250 milhões, Mais Futuro se consolida como política pública para Ensino Superior

Importante política pública de permanência estudantil do Governo da Bahia, o Mais Futuro contou, em 2023, com um investimento de R$ 43 milhões, contemplando 13 mil estudantes das quatro instituições de Ensino Superior  do Estado – Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) – e a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), em 335 municípios de 27 Territórios de Identidades da Bahia.

Desde que foi criado, em 2017, o programa teve um investimento total de R$ 248.687.941,07 na concessão de bolsas através dos recursos vinculados e disponibilizados pelo Fundo Estadual de Combate e Erradicação à Pobreza, contribuindo para a formação universitária de 27.652 mil alunos. No último dia 29, o governo estadual disponibilizou a 11ª parcela do Mais Futuro, referente ao mês de dezembro e última do calendário letivo 2023.

O Mais Futuro visa a inclusão social ao garantir a permanência dos estudantes regularmente matriculados em cursos de graduação presencial nas quatro universidades estaduais (Uneb, Uesc, Uesb e Uefs) que se encontram em condições de vulnerabilidade socioeconômica nas universidades públicas estaduais, oriundos de famílias que integram o Cadastro Único de Programas Sociais (CadÚnico). O programa possibilita que eles se mantenham nas universidades e concluam seus estudos, contribuindo para a redução das desigualdades pela Educação. Por meio do Mais Futuro, os universitários recebem auxílios de R$ 600 para o Perfil Moradia (que estudam a mais de 100 km dos locais onde moram) e de R$ 300 para o Perfil Básico (que estudam no mesmo lugar onde moram).

O coordenador-executivo de Programas e Projetos Estratégicos da SEC, José Bites, faz um balanço sobre o Mais Futuro. “É um programa único no Brasil, pois nenhum outro Estado tem uma iniciativa tão substancial voltada à permanência no Ensino Superior, envolvendo auxílio em moradia, transporte e alimentação para que os estudantes possam permanecer na universidade e ter uma formação adequada”.

O gestor destaca, ainda, a atitude do Governo do Estado de assumir a responsabilidade de garantir a permanência dos estudantes nas universidades estaduais. “Ao longo desses anos, temos um investimento da ordem de quase 250 milhões de reais, atendendo a quase 30 mil estudantes durante o período integral do curso, incluindo o estágio. Portanto, estamos falando de uma política pública consistente, presente também nas unidades das universidades estaduais no interior, dando mais oportunidades a esses estudantes e dando respaldo à qualidade da formação da Educação Superior”, pontua.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + dezessete =

Botão Voltar ao topo