DestaqueNotícias

Bahia tem 109 municípios em situação de emergência por estiagem e dois por seca

O Brasil passa por período de seca em diversos estados e a Bahia é um deles

De acordo com a  Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia (SUDEC),  135 (Cento e trinta  e cinco) municípios baianos já decretaram estado de emergência na Bahia, sendo que 111 (Cento e onze)  tiveram seus decretos homologados pelo governo, apenas dois devido a seca: Chorrochó e Manoel Vitorino e os outros 109 devido a estiagem. O número de pessoas atingidas é de 1.011.351.

“A seca e/ou estiagem atingem diretamente a agricultura, com a perda de safras, e a pecuária devido às mortes dos animais ou até mesmo através da comercialização destes por um valor inferior. Ao todo, temos 135 municípios baianos em Situação de Emergência, destes 111 tiveram os seus decretos homologados pelo Estado, dois deles devido à seca e 109 devido à estiagem. São coisas diferentes, mas que afetam a população e a economia dos municípios”, informa a SEDUC.

Ainda de acordo com a SEDUC, a principal iniciativa  é a entrega de água, através da Operação Água Potável – OAP, para as populações baianas que não possuem este acesso.

“Isso ocorre após o decreto municipal de Situação de Emergência ser reconhecido a nível federal. A Sudec se desloca ao município para realizar o credenciamento e conferir se todas as documentações estão corretas para dar início a OAP”.

O Brasil passa por  período de seca em diversos estados e a Bahia é um deles. Em maio, segundo dados da Agência Nacional de Água e Saneamento Básico (ANA), além da Bahia, também tiveram um agravamento da seca Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e São Paulo.

Segundo os dados mais recentes da ANA, na Bahia observou-se o avanço da seca moderada nas regiões sul e leste, em decorrência das anomalias negativas de precipitação dos últimos meses.

A ANA considera que atualmente todo o território baiano (100%) está em estado de seca, sendo cerca de 44% do território com seca fraca, cerca de 54% em seca moderada e cerca de 2% em seca grave. Para se ter uma dimensão, em fevereiro deste ano 83,2% do território baiano enfrentava algum grau de seca e já em março a ANA considerava que 100% do território baiano já enfrentava algum grau de seca, quadro que se perpetua até o presente momento. Chuvas abaixo da média já a partir do segundo semestre de 2020 são o motivo do atual quadro de secas.

Em nota enviada à Tribuna da Bahia, a Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura Atitudes (Seagri) disse que juntamente com o  Governo do Estado , o combate à seca é uma ação contínua.

“A Seagri incentiva a facilitação de projetos de irrigação e aproveitamento de aquíferos em todo o estado; estuda cada território para implantação de culturas mais resistentes, adequadas à região e ao clima; divulga e implanta sistemas de cultivo que consomem menos água.  Somado a isso, vê em seu projeto de entrega e administração de máquinas agrícolas em todo o território baiano uma ação efetiva para a amenização da situação de seca. Máquinas como tratores, retroescavadeiras e escavadeiras hidráulicas constroem aguadas, pequenas represas e açudes, além de estradas de acesso a essas instalações”

Além disso, segundo a Seagri, caminhões-pipa são distribuídos, possibilitando o deslocamento da água até as comunidades. Somente em 2021, foram entregues 647 desses equipamentos em um investimento de mais de R$ 30 milhões. Esse maquinário é originado de verbas parlamentares com contrapartida do Governo do Estado da Bahia e viabilização técnica da Seagri. São distribuídos para prefeituras, consórcios e associações de toda a Bahia.

Fonte: Tribuna da Bahia

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze + 13 =

Botão Voltar ao topo